Quarta-feira, 29.07.09

E a propósito destas opiniões relembro que em 1982 e quando na Assembleia da República debatia a despenalização do aborto, o então deputado do CDS, João Morgado, argumentou: «O acto sexual é para ter filhos».

 

Natália Correia (na altura deputada do PS) subiu à tribuna para responder com um poema muito original. As gargalhadas obrigaram à interrupção dos trabalhos.

 

Reproduzo esta jóia da literatura portuguesa:

 

Já que o coito - diz Morgado -
tem como fim cristalino,
preciso e imaculado
fazer menina ou menino;
e cada vez que o varão
sexual petisco manduca,
temos na procriação
prova de que houve truca-truca.
Sendo pai só de um rebento,
lógica é a conclusão
de que o viril instrumento
só usou - parca ração! -
uma vez. E se a função
faz o órgão - diz o ditado -
consumada essa excepção,
ficou capado o Morgado.


(Natália Correia - 3 de Abril de 1982 )

 

E assim foi a Natália...em todo o seu esplendor...e para infelicidade do Morgado.

publicado por Sandro Pires às 14:03 | link do post | comentar | favorito
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
23
25
26
27
28
30
31
arquivos
2009
últ. comentários
Estará esta fêmea macilenta e tórpida a olhar para...
Que quadrúpede ruminante cavicórneo, tipo da famíl...
Uma senhora que não queria que o ordenado minimo f...
Posts mais comentados
blogs SAPO